Facebook Twitter Instagram

Iprev e Seduc alinham iniciativas para dar celeridade a aposentadorias de professores

A reunião aconteceu no auditório do Iprev e contou com a presença do presidente, Joel Benin, e do subsecretário de Educação, Danilo Moreira

A reunião contou com a presença do presidente, Joel Benin, e do subsecretário de Educação, Danilo Moreira

Alinhar iniciativas para dar celeridade aos processos de aposentadoria e na realização de perícias médicas para servidores estaduais da área da Educação. Esse foi o objetivo da reunião realizada entre o Instituto de Previdência dos Servidores do Estado do Maranhão (Iprev) e a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) na tarde desta terça-feira (19).

O encontro contou com a participação do presidente do Iprev, Joel Benin, e do subsecretário de Educação, Danilo Moreira, e foi realizado no auditório do Iprev.

Na ocasião, foram traçadas estratégias para otimizar fluxos de trabalho entre os dois órgãos estaduais. O objetivo é que a aposentadoria dos professores se dê de forma mais rápida, sem prejuízo das etapas necessárias para o processo.

A troca de informações em reuniões e oficinas posteriores; a composição de grupos de trabalho que atuarão em várias frentes; a qualificação dos servidores das Unidades Regionais de Educação (UREs) para a instrução correta dos processos de aposentadoria; e a intensificação dos atendimentos periciais no interior do estado foram alguns dos pontos abordados na reunião.

O presidente do Iprev, Joel Benin, destacou a importância do trabalho parceiro com a Seduc.

“A melhoria da qualidade da educação é uma das bandeiras da gestão do governador Flávio Dino. Para manter os bons resultados dessa área, é preciso valorizar os professores, atuando com celeridade, transparência e justiça”, afirmou.

Como parte das iniciativas para dar celeridade às aposentadorias, o Iprev realizou, em 2018, um mutirão de análise de processos. Mais de dois mil pedidos foram analisados em dois meses.

Em junho do ano passado, o Governo do Estado também transferiu para o órgão em que o servidor está lotado a competência para analisar os pedidos de abono de permanência. O benefício é pago ao servidor que, mesmo tendo atingido os requisitos para a aposentadoria, opta por continuar trabalhando.

Antes, os pedidos precisavam ser analisados pelo Iprev. Com a mudança de competência, o instituto pode concentrar esforços na concessão de aposentadorias e pensões e na assistência aos servidores inativos.

O subsecretário de Educação, Danilo Moreira, considerou positiva a reunião com o Iprev.

“Foi uma reunião que vai nos ajudar a melhorar vários fluxos de trabalho. A parceria com o Iprev é importante para tratar bem o servidor que está no seu direito, garantindo direitos aos professores, como as aposentadorias e licenças médicas”, concluiu.